Resenha: No Jardim do Ogro – Leïla Slimani

Sinopse:   Adèle tem a vida perfeita: é uma jornalista de sucesso em Paris, onde vive com seu marido cirurgião e seu filho pequeno em um lindo apartamento. Mas, debaixo da superfície, ela está entediada com seu trabalho e seu casamento – enquanto é consumida por uma necessidade insaciável de sexo a qualquer custo. Movida menos pelo prazer do que pela compulsão, ela organiza  seu dia em torno de casos extraconjugais, chegando atrasada ao trabalho e mentindo para o marido, até se enredar definitivamente em sua própria armadilha.  No Jardim do Ogro   é um romance visceral sobre um corpo escravizado por seus impulsos, o vício sexual e suas consequências implacáveis.

livro No jardim do ogro

Resenha: Quando recebi o livro   No Jardim do Ogro   fiquei super ansiosa para ler, afinal, ” Canção de Ninar ” da mesma autora, Leïla Slimani, foi um dos livros mais interessantes que eu li no ano passado, então minhas expectativas com   No Jardim do Ogro     eram bem grandes.

Nesse livro conhecemos Adèle, um jornalista de 35 anos, casada com Richard, um cirurgião, e mãe do pequeno Lucien, aparentemente, uma família perfeita, mas apenas aparentemente.

Não sei se poderíamos chamar Adèle de ninfomaníaca, na verdade ela possuí sim uma compulsão por sexo, mas mais do que isso, ela tem a necessidade de se tornar inesquecível, quer ser notada pelos homens, tudo o que nossa protagonista quer é ser desejada e possuída por homens.

Mesmo com uma vida confortável, Adèle é infeliz e sente um vazio constante, e para preencher esse vazio ela sai atrás de casos extraconjugais, inventando desculpas bem convenientes para seu marido como problemas no trabalho, por exemplo.

Durante todo o livro eu tentei não gostar de Adèle, afinal, ela tem a vida dos sonhos com uma família perfeita, uma boa casa, uma profissão de sucesso e sem nenhum problema financeiro, porém, a autora Leïla Slimani consegue fazer com que a gente sinta toda a agonia e tristeza que Adèle sente, e mesmo sabendo que ela está errada tudo o que eu queria ao ler o livro é que ela conseguisse alcançar essa paz interior que ela não tinha.

No Jardim do Ogro  conta toda a jornada de Adèle, como ela foi se envolvendo cada dia em mais mentiras, até que seu marido sofre um acidente e ela pensa que finalmente agora teria que aceitar a vida pacata.

Assim como em “Canção de Ninar”, Leïla Slimani nos apresenta personagens bem humanizados e não faz rodeios para contar a sua história, deixando em nossas mãos se vamos ou não ter empatia por cada um, e por incrível que pareça, eu tive mais empatia pela protagonista que faz tudo de errado e mais um pouco do que por seu marido que foi a verdadeira vítima na história.

No Jardim do Ogro   é um romance difícil, duro, sofrido, durante toda a narrativa além de sentir o vazio e sofrimento de Adèle, também é possível sentir um clima tenso no ar. Esse é um livro necessário e que nos faz sentir empatia até por quem é o completo errado da história.

Compartilhar:

Seja a primeira a comentar

Leave a Comment

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked