20 Jan , 2016

Resenha: “Quem me roubou de mim?” de Fábio de Melo

em Livros

Capa do livro "Quem me roubou de mim?" de Fábio de MeloRecentemente lí o livro “Quem me roubou de mim?” de Fábio de Melo.

A leitura apresentou-se como uma grata surpresa capaz de superar a minha barreira inicial preconceituosa sobre um livro escrito por um padre católico.
De mesmo modo que vários de meus amigos, desde criança eu me sentí deslocado no meio da religiosidade cristã, optando como alguns deles por conhecer outros tipos de religiosidade.

O legal é que o livro “Quem me roubou de mim?” me foi dado de presente pela esposa de um amigo que é atéia.

Pois bem, o livro não trata prioritariamente de religião alguma mas daquilo que é chamado pelo autor de “sequestro da subjetividade”.
A narrativa de “Quem me roubou de mim?” concentra-se em contar várias histórias reais de pessoas que foram sequestradas de sua subjetividade e junto com essas histórias oferecer opiniões filosóficas sobre o assunto.

Página interna do livro "Quem me roubou de mim?"
É um livro curto, que pode ser lido em uma ou duas tardes, e que possui uma leitura fluida comum para os pequenos contos que a formam.

Sobre sequestro da subjetividade o autor diz entre outras coisas:

“É sequestro da subjetividade todo o processo que neutraliza e impede o ser humano de conhecer-se, passando a assumir uma postura ditada por outros. É sequestro da subjetividade a projeção da vida humana em metas inalcançáveis, costurada à mentalidade de que as pessoas são perfeitas e que há sempre um final feliz reservado, pronto para chover do céu sobre nossas cabeças.” – Fábio de Melo; Quem me roubou de mim?

“Quem me roubou de mim?” começa estabelecendo um paralelo entre o sequestro físico, crime típico em que uma pessoa é fisicamente removida do seu ambiente e levada até um cativeiro por um sequestrador e o sequestro de subjetividade, processo semelhante em que um indivíduo fica preso em uma relação limitante e perde a direção de sua própria subjetividade, ou seja, torna-se refém.

A despeito do meu preconceito inicial e de ser um livro curto e despretensioso, a leitura é muito interessante e reflexiva e acredito que o tema do sequestro da subjetividade tem um potencial de criar identificação com muitos leitores.

Página interna do livro "Quem me roubou de mim?"Sou particularmente interessado pelo tema da autonomia nos relacionamentos e as histórias contadas no livro por várias vezes me trouxeram reflexões interessantes.

São histórias protagonizadas por pais e filhos, namorados, namoradas, maridos, esposas e indivíduos sequestrados de sua subjetividade por medo, necessidade, sedução, autoritarismo ou baixa auto estima e apesar da delicadeza desses temas, Fábio de Melo os investiga de forma honesta sob a luz da filosofia e da empatia.

Fiquei surpreso durante a leitura do livro ao ver como o autor trata algumas temas, como o desejo e a felicidade.
Por exemplo quando o autor faz uma defesa da importância do desejo em nossas vidas contrapondo o desejo como força motivadora do ser humano com o prazer frugal e repentino.
A conclusão exposta pelo autor de que as pessoas que são sequestradas de sua subjetividade tornam-se tão indisponíveis pra si quanto para os outros também me fez refletir durante um tempo.

Contra capa do livro "Quem me roubou de mim?" de Fábio de Melo

 

Antes de tudo o livro reconhece a humanidade dos indivíduos e deixa perguntas no ar do começo ao fim, e se você já esteve em relações de sequestro de subjetividade ou mesmo viu alguém que você ama preso nessas relações, o livro é uma leitura recomendada que pode te fazer refletir e aumentar o seu nível de empatia.

Compartilhar:
18 Jan , 2016

Filme: O regresso

em Filmes

Leonardo DiCaprio em O Regresso

Gente, até esse último final de semana eu não tinha assistido a nenhum filme que está  concorrendo ao Oscar de melhor filme, e isso não é aceitável pra mim haha, por isso vou  correr contra o tempo e tentar assistir todos, mas dai não posso prometer nada, mas  conseguir ver um no sábado, que é “O regresso” com Leonardo DiCaprio e Tom Hardy.

“O regresso” é baseado em fatos reais e conta a história do explorador Hugh Glass que junto  com seu filho Hawk se vê envolvido em um conflito pela caça de pele, de um lado há um grupo  de  índios e do outro há o grupo do capitão Andrew Henry, quando Glass vê o grupo do capitão  Henry sendo massacrado pelos índios ele resolve ajuda-los.

The Revenant  - film

Mas a presença Hawk não é bem vinda, principalmente para John Fitzgerald, (Tom Hardy)  porque Hawk é de origem indígena e em pouco tempo de filme você também poderá ver que  Fitzgerald não é assim tão leal a Henry e que ele fará da vida de Glass um verdadeiro inferno.

A cena em que Glass é atacado por um urso chega a espantar por tanta brutalidade e realismo, e é ai que começa a jornada de Glass pela sua sobrevivência e vingança, agora se eu acabar  falando um pouco mais da história vou acabar soltando spoiler hehe.

The Revenant  - O regresso com Leonardo DiCaprio

Como disse o diretor Alejandro González Iñárritu o filme “celebra o verdadeiro cinema” devido  a utilização de pouca computação gráfica o que nos faz ficar ainda mais maravilhados,  principalmente pela bela fotografia. O filme foi gravado no Canadá e na Argentina e sempre  durante o dia para poder aproveitar a luz do sol, e com todos os envolvidos nas filmagens  tendo que passar boas horas de frios hehe.

O regresso é um filme lindo, principalmente pelas paisagens, porém, extremamente brutal e  triste marcado pelas lembranças, algumas tristes e algumas felizes de Glass

Compartilhar:
11 Jan , 2016

Resenha: It. A coisa

em Livros

resenha do livro It - A coisa

Alguma força estranha, podemos chamar até de sobrenatural, reside na cidade de Derry,  e essa força se alimenta dos piores medos das pessoas, de seus pesadelos, suas angustias, e a cada vinte e sete anos muitas mortes e coisas estranhas acontecem nessa cidade, mas como acabar com tudo isso?

Em 1958 um grupo de sete crianças tentou matar a Coisa, mas a duvida acabou ficando nas suas mentes e por isso o grupo resolveu fazer um pacto de sangue, que se algum dia a Coisa voltasse para Derry e recomeçasse o mal eles também voltariam lá para acabar de vez com ela.

Na maioria das vezes a Coisa aparece na forma de um palhaço chamado Pennywise, afinal, qual o jeito mais fácil de atrair as crianças para perto dela? As crianças são suas presas favorita porque elas tem a mente muito criativa e cheia de coisas que elas tem medo. Após conseguir capturar a vítima, a Coisa se transforma no seu pior pesadelo e as devora quase que totalmente – literalmente.

It A Coisa - resumo

Das sete crianças que fizeram o pacto apenas Mike permanece morando em Derry quando adulto, Bill, Beverly, Ben, Eddie, Stan e Richie foram embora de lá e tem uma vida profissional de muito sucesso, porém, os sete acabaram se distanciando e nenhum deles se mantém em contato. Mas trinta anos após eles terem lutado com a Coisa eles recebem uma ligação, era Mike.

Mike ficou muito tempo pensando e estudando pra ter certeza se devia ou não fazer as ligações, porque ele queria ter certeza que a Coisa tinha voltado, e sim, ela tinha e agora todos eles teriam que voltar e cumprir a promessa feita no passado.

Livro - IT A COISA - resenha

Desde criança eu sempre tive muito medo de palhaços, não os acho simpáticos, engraçados, podemos dizer que tenho pânico em olhar para aquela cara pintada e não saber quem está por trás e o que ele vai fazer, acho tudo muito estranho e assustador, então até agora não sei como tive coragem de ler esse livro haha.

Mas não me arrependo, é um suspense incrível, no começo eu fiquei um pouco perdida pelo excesso de informações e os flashbacks, mas a leitura valeu cada momento de medo, cada susto, cada momento de nojo haha, e claro, meu medo de palhaço só fez crescer ainda mais.

Esse é o livro que todo mundo deve ler ao menos uma vez na vida, de tão fantástico, sinistro, assustador e incrível.

Compartilhar:
09 Jan , 2016

Receita: Bolo cocada com calda de maracujá

em Receitas

bolo cocada com calda de maracujá - como fazer

Oi gente, tudo bem?

Eu sou apaixonada por cocada desde que eu me conheço por gente. Lembro que quando criança minha tia Cida fazia uma cocada de comer rezando, e minha mãe faz uma cocada de comer de colher que meu Deus, é gostoso demais, não há dieta que resista haha, fora essas cocadas deliciosas dos mais diversos sabores que são vendidas nas ruas/parques.

E além de toda essas cocadas mais tradicionais, minha mãe resolve as vezes fazer esse bolo cocada que é divino ( sério, vocês precisam experimentar) principalmente por causa dessa calda de maracujá que dá um azedinho todo especial.

E claro eu não podia deixar de compartilhar essa gostosura toda com vocês, né.

Papel e caneta na mão e bora anotar a receita.

como fazer bolo de coco e calda de maracujá

Para o bolo:

  • 1 lata de leite condensado
  • 300 ml de leite
  • 2 ovos
  • 250g de coco fresco
  • 30g de farinha de trigo

Para a calda:

  • 1 maracujá
  • 30 ml de mel
  • 75 ml de água
  • 25 ml de glucose de milho

como fazer - bolo de coco e calda de maracujá

Modo de preparo:

  • Bata todos os ingredientes do bolo no liquidificador por 3 minutos.
  • Em seguida, coloque a mistura em uma forma untada e enfarinhada e asse por 50 minutos, a uma temperatura de 160ºC  a 180ºC.
  • Para fazer a calda, leve os ingredientes ao fogo e deixe cozinhar por 10 minutos.
  • Desenforme o bolo e use a calda para decorar.

como fazer bolo de coco com calda

Viram só como é fácil fazer?
Eu adoro essas receitas que são só colocar tudo dentro do liquidificador e bater, é prático, rápido e faz menos sujeira haha.

Façam a receita em casa e não se esqueçam de me contar o que acharam.

Beijos!

Compartilhar:
06 Jan , 2016

Comprando online: chapéus de praia

em Aleatoriedades

compra online - chapéus de praia

O verão chegou, as férias chegaram e com certeza muita gente vai aproveitar muita praia nesses próximos meses, certo?

Só que todo mundo sabe que na praia é preciso prevenção, afinal, o sol faz bem pra saúde, mas se passarmos dos limites e não nos protegermos ele pode trazer algumas conseqüências negativas e muitas vezes graves.

E pensando nisso, resolvi sair em busca de chapéus de praia em lojas online, porque além deles nos proteger um pouco do sol, deixa o visual bem mais bonito, sofisticado e cheio de informação de moda.

Bora conferir.

1-  Chapéu de praia viseira redonda – Chapéu & Estilo
2- Chapéu floppy listras – Chapéu & Estilo
3- Viseira xadrez branco e preto – Chapéu & Estilo
4- Chapéu floppy branco e azul – Chapéu & Estilo
5- Chapéu floppy de palha preto – Chapéu & Estilo
6- Chapéu coquinho branco – Renner
7- 
Chapéu em crochet de papel – Renner
8- Chapéu com listras amarelas – Renner
9- Chapéu listrado de azul e bege com abas largas – C&A
10- 
Viseira coral – C&A
11- Chapéu com vazado – Marisa
12- Chapéu bege de praia – Marisa
13- Chapéu com trança vermelho – C&A
14- Chapéu com sementes – Cores Brazil
15- Chapéu cherri preto e branco – Brasutil

Tem um modelo mais lindo que o outro, né? Eu fiquei maluca olhando tanto chapéus bonitos, deu vontade de sair comprando tudo haha.

Gostou do modelos? O meu predileto é o listrado de azul, me sentiria a rica usando ele haha. Qual o seu predileto? Me conta nos comentários!

Compartilhar: