Resenha: Rosas de Maio – Dot Hutchison

Sinopse:   Quatro meses se passaram após a descoberta do Jardim e de suas “borboletas”: jovens mulheres, sequestradas e mantidas em cativeiro por um homem brutal e obsessivo, conhecido apenas como Jardineiro. O inverno está chegando ao fim, e as Borboletas sobreviventes esperam ansiosamente por dias mais quentes e tranquilos.

Para os agentes Brandon Eddison, Victor  Hanoverian e Mercedes Ramirez, no entanto, a calma não parece valer: em outra parte dos Estados Unidos, uma jovem surge brutalmente assassinada. Os indícios apontam para a ação de mais um serial-killer psicopata, capaz não apenas de matar a sangue frio, mas também de elaborar a cena a ser descoberta: a jovem é encontrada no altar de uma vela igreja, com a garganta cortada e o corpo rodeado de flores.

livro - rosas de maio

Livro – Rosas de Maior de Dot Hutchison

Resenha:  Quando terminei o livro “O Jardim das Borboletas” eu fiquei estasiada, afinal, o livro é maravilhoso, é aquele tipo de livro que te prende do início ao fim devido sua narrativa eletrizante cheia de suspense. Então, como você pode imaginar, eu estava super ansiosa para ler “Rosas de Maio”

Em “Rosas de Maio” somos apresentados a jovem Pryia, que após ter sua irmã assassinada por um serial-killer viu sua família ficar destruída, principalmente ela que foi quem encontrou o corpo da irmã e que acabou desenvolvendo problemas alimentares.

A mãe de Pryia, Deshani, tem um trabalho importante em uma empresa, porém, esse trabalho exige que ela se mude de cidade com frequência, e mesmo com tantas reviravoltas e mudanças Pryia tenta manter uma vida normal, porém, em breve ela terá que se mudar para Paris.

Os detetives do FBI Victor Hanoverian, Brandon Eddison e Mercedes Ramirez são os responsáveis pela investigação do jardim das borboletas, e por conta disso, vivem em contato com as garotas sobreviventes, porém, eles também são responsáveis por investigar o novo serial-killer a solta e por conta disso, vivem em contato também com Pryia e sua mãe.

O livro chama-se “Rosas de Maio” porque com a aproximação do mês de maio prevê-se um novo assassinado, e esse novo serial-killer sempre mata suas vítimas e as deixa rodeadas de flores. Porém, para a nossa surpresa, Pryia começa a receber flores, as mesas flores que foram usadas nos outros assassinatos. É aí que começa o novo mistério e um clima super tenso.

Como esse livro é cheio de pequenos detalhes a serem descobertos, não seria legal eu contar muito mais sobre a história, afinal, eu acabaria soltando spoilers, porém, vamos para o que eu achei de “Rosas de Maio”.

A primeira coisa que você precisa saber sobre “Rosas de Maio” é que apesar dele fazer parte de uma serie, dá para ler ele tranquilamente sem ter lido o primeiro, pois apesar de manter mesmo detetives, agora os crimes são diferentes, mas claro, se você optar por ler primeiro “O Jardim das Borboletas” sua experiência será muito mais completa, afinal, há partes no segundo livro onde as borboletas são mencionadas e algumas até acabam aparecendo na história.

O livro “Rosas de Maio” é narrado pela visão de Priya, onde apesar de tanto sofrimento, ela tenta se manter forte e focar em seu futuro. Porém, é com a ajuda de Pryia que conseguimos conhecer sua irmã que foi assassinada a cinco anos.

Em algumas partes do livro nós também somos guiados através do olhar do agente Eddison, que apesar de cansado de tanto tempo trabalhar no mesmo caso, mas sem nenhum sucesso, ele se mostra determinado a tentar solucionar o mistério e acabar de vez com essa serie de garotas assassinadas.

E apesar de ser bem menos, em alguns trechos do livro quem nos guia pela história é o assassino, e confesso que esses foram meus trechos favoritos, principalmente no primeiro capítulo que ele nos conta sobre seu primeiro assassinato.

Apesar de eu ter gostado bastante de “Rosas de Maio” devo confessar que minha expectativa para esse livro era bem maior. A leitura as vezes se mostra um pouco arrastada e cansativa, mas nada que faça a gente perder o interesse pela história, porém, como eu já tinha lido “O Jardim das Borboletas” minha esperança era que essa continuação fosse me prender e deixar ansiosa para descobrir como iria terminar a história, a ponto de eu ter lido o livro em uns 3 dias.

Apesar disso tudo, “Rosas de Maio” é uma leitura interessante e que tem o seu valor. A autora vai liberando pequenas pistas para que a gente tente desvendar como a história vai terminar, algo que eu realmente adoro! Além disso, a participação de algumas das borboletas na história também me deixou bem feliz, pois me levou novamente para aquele mundo desesperador e tenso do primeiro livro.

Minha dica para quem já leu o primeiro livro é que leia esse segundo também, pois assim você entenderá melhor como foi o desenrolar da história, e caso você não tenha lido nenhum dos dois, a dica é: leia o quanto antes!

Compartilhar:

Seja a primeira a comentar

Leave a Comment

Please be polite. We appreciate that.
Your email address will not be published and required fields are marked