03 Sep , 2018

Resenha: Sob a Luz da Escuridão – Ana Beatriz Brandão

em Livros

O livro Sob a Luz da Escuridão é o primeiro volume de uma trilogia que se passa em um mundo pós-apocalíptico que acontece após a 4º Guerra Mundial escrito por Ana Beatriz Brandão.

O mundo chegou ao cenário catastrófico que vemos no livro após um presidente eleito conseguir enganar toda uma população, e após alguns meses eleito, ele aplica um golpe de estado que consegue ocupar todo o planeta, e assim ele começa a colocar regras sobre como deveria ser a aparência das pessoas (altas, magras, loiras e de olhos claros), também não podia existir deficientes e pessoas velhas demais, resumindo, um líder fictício muito parecido com um homem famoso do nosso passado.

Capa do livro - Sob a luz da escuridão

Depois de anos nesse regime começou a  4º Guerra Mundial, foi quando a população resolveu se voltar contra essa ditadura que acabou dizimando 2/3 da população mundial.

Em Sob a Luz da Escuridão nós temos quatro personagens principais, que são Lollipop, uma garota metacromo que tem o poder de telecinese, Jazz, que consegui produzir fogo com o seu próprio corpo, Evan, um vampiro que sabe controlar mentes e Sam, que assim como Jazz também tem o poder de produzir e controlar o fogo.

 

Quando conhecemos Lollipop ela acaba de acordar em um Instituto, esse instituto foi criado em homenagem ao antigo ditador e lá eles fazem experimentos com os metacromos – pessoas que acabaram sofrendo mutações depois de anos guerras sendo expostos a radiação. Quando Lollipop acorda ela ouve vozes mandando-a fugir daquele lugar, e como o lugar está sendo atacado, tudo o que ela faz é fugir e assim ela acaba conhecendo Chris e Jéssica – a Jazz.

lombada do livro - sob a luz da escuridão

Depois de dois anos de amizade, o lugar onde Jazz, Lolli e Chris começa a ser atacado pelos Eles e Chris obriga as duas a fugirem enquanto ele fica para trás para tentar protegê-las, assim Lollipop e Jazz se veem sendo obrigadas  a aprender a viver longe de casa e sem a ajuda dos amigos.

Depois de uns dias se escondendo elas acabam sendo capturadas pelo clã de Evan, mas apesar de Lollipop não se lembrar de Evan, eles se conhecem a muitos e muitos anos e assim nós vamos começando a entender qual foi o passado de Lolli, como ela foi parar no Instituto e de onde o vampiro a conhece.

Sob a luz da escuridão é aquele tipo de livro que a gente tem vontade de devorá-lo de uma vez só, de tanta adrenalina e suspense que ronda a história, porém, um romance no meio do livro fez a história começar a se arrastar e perder um pouco toda aquela empolgação de antes.

páginas do livro - sob a luz da escuridão

Sob a Luz da Escuridão é o primeiro livro da Ana Beatriz Brandão que eu leio e confesso que estou apaixonada, apensar do romance meio cansativo no meio da história, o livro não perde o pé da meada e continua bem empolgante até o final, que termina com uma excelente deixa para o segundo volume da trilogia que eu já estou super ansiosa para ler.

Esse livro com certeza é uma leitura que eu indico para todos que estão procurando um livro divertido, que te prenda do inicio ao fim e também indico para quem curte um romance daqueles meio melosinho, é um livro para todos os gostos.

Compartilhar:
22 Aug , 2018

Resenha: O Tipo Certo de Garota Errada de A. C. Meyer

em Livros

Oi gente, eu acabei a leitura do livro O Tipo Certo de Garota Errada da autora A. C. Meyer, livro este que é o primeiro da série Garotas e confesso que fui lê-lo com muita expectativa, mas para você saber mais sobre a história e sobre o que eu achei do livro O Tipo Certo de Garota Errada você precisa continuar a leitura desse post.

Livro - O tipo certo de garota errada - A. C. Meyer

Livro – O tipo certo de garota errada – A. C. Meyer

Em O Tipo Certo de Garota Errada nós conhecemos Malu, uma jovem rebelde, porém, super de bem com a vida e que faz questão de colocar muitas cores em seu dia a dia, literalmente. No início no livro, Malu está cursando Direito, por vontade de seu pai, porém, o seu grande sonho é poder viver de sua arte.

Logo no começo da faculdade Malu conhece Rafa, o cara gato clichê que se torna o seu grande amigo, mas que no fundo alimenta um amor pela garota e claro, ela também o ama, mas não dá o braço a torcer.

Foi ali, no primeiro dia de aula da entediante faculdade de direito, que conheci o homem que roubou o coração que eu nem sabia que existia.

Malu é uma talentosa pintora, que além de além de colocar muitas cores em seus quadros, também faz questão de colorir o seu corpo com muitas tatuagens e vive mudando a cor do cabelo.

lombada do livro - o tipo certo de garota errada - A. C. Meyer

Páginas do livro - O tipo certo de garota errada de A. C. Meyer

Apesar de Malu carregar muita magoa em relação a sua família em seu coração, ela é sempre aquela garota alto astral que todos querem ter por perto, mas um dia Malu resolve se conversar com o seu pai sobre as suas escolhas para o futuro e claro, o homem fica ainda mais estressado com a garota e resolve expulsa-la de sua vida.

Assim, Rafa acaba se aproximando ainda mais de Malu, pois é ele quem vai ajudá-la nessa hora tão difícil, mas mesmo cada dia mais próximos, Rafa e Malu teimam em negar a relação que já deveria existir entre eles a muito tempo. Mas com todas as mudanças na vida de Malu, ela acaba conhecendo Clara, sua nova vizinha que vai se tornar uma grande amiga para Malu, em uma das horas mais difíceis de sua vida.

capa do livro - o tipo certo de garota errada de A. C. Meyer

O que eu sentia pelo Rafa era mais próximo de amor que eu já havia experimentado. Nunca fui amada, então não sabia nem identificar o sentimento.

Apesar de clichê e de ter um final bem obvio, O Tipo Certo de Garota Errada é um livro gostoso de se ler, A. C. Meyer escreve de forma muito envolvente e fluida o que faz a história não ser cansativa e Malu é realmente uma personagem cativante, divertida e muito envolvente, aquele tipo de personagem que faz a gente torcer pela sua felicidade a todo momento.

A base do livro tem uma linda história de amor, que no principio é só amizade e que por medos devido as suas experiencias de vida, o amor de Rafa e Malu acaba sendo adiando a cada dia que passa. O Tipo Certo de Garota Errada é aquele livro para quem gosta de um romance clichê mas que agrada a todos.

Compartilhar:
06 Aug , 2018

Resenha: Uma Estranha em Casa – Shari Lapena

em Livros

Uma Estranha em Casa   é o primeiro livro da autora Shari Lapena que eu leio e confesso que já virei fã. Ao ler a snopse do livro eu pensei que seria um pouco mais do mesmo, afinal a história é sobre um casal perfeito que vê sua vida virar de cabeça para baixo após a esposa sofrer um acidente e perder a memória, mas não, a história vai muito além.

capa do livro - uma estranha em casa

Em   Uma Estranha em Casa   ficamos o tempo todo tentando entender o que fez Karen sair de casa as pressas, deixando tudo aberto, sem nenhum documento, sem celular, atravessar a cidade para ir a um bairro perigoso e depois de sofrer um grave acidente de carro perder a memória.

O mais interessante é que quando ainda estamos no meio do livro a autora deixa claro que todo o mistério já foi resolvido, mas ela faz isso com maestria, pois, mesmo assim ela consegue continuar o enredo de forma muito envolvente e com o clima de mistério sempre no ar.

páginas do livro - uma estranha em casa

lombada do livro - uma estranha em casa

Outro detalhe que eu também amei no livro   Uma Estranha em Casa   é que os capítulos são curtos, uma média de 4 a 5 páginas, e a autora Shari Lapena escreve de maneira muito fluida e envolvente, fazendo a história fluir rapidamente, mas sem deixar de prender a atenção do leitor.

Uma Estranha em Casa    é aquele típico livro que a gente torcer para virar um filme, de tanto suspense e reviravolta que existe na história e quando eu digo reviravolta, é reviravolta até a última página do livro, porque ali há uma revelação que realmente ninguém poderia pensar naquela hipótese para o desenrolar da trama.

livro - uma estranha em casa

contra capa - uma estranha em casa

Apesar do livro   Uma Estranha em Casa    ter algumas cenas clichês, eu não deixei de me sentir envolvida com o enredo em nenhum momento e já está entre meu livros queridinho, afinal, eu amo suspense com finais surpreendentes.

Compartilhar:
25 Jul , 2018

Resenha: Não Chore, Não – Mary Kubica

em Livros

Assim que eu recebi o livro Não Chore, Não  da Editora Planeta confesso que fiquei super ansiosa pela leitura, afinal, Não Chore, Não é o segundo livro da autora Mary Kubica que eu leio, o primeiro foi A Garota Perfeita e eu amei demais aquele livro.

capa do livro - não chore, não

Em Não Chore, Não conhecemos Quinn, uma jovem que após uma noite de farra e bebedeira ao acordar em seu apartamento percebe que Ester, sua amiga e roommate desapareceu. Nisso Quinn começa a buscar pistas para tentar descobrir se sua amiga Ester realmente desapareceu ou se apenas resolveu ir embora sem avisar.

Em paralelo a história de Quinn, Não Chore, Não nos apresenta Alex, um jovem que mora em uma pequena cidade e decidiu desistir da faculdade para ficar cuidando do pai alcoólatra. Em mais um dia de trabalho na lanchonete, Alex avista uma moça que atrai sua atenção de forma que ele não consegue tirá-la da cabeça e ele resolve apelidá-la – somente em sua cabeça – de Pearl.

páginas do livro - não chore, não - mary kubica

resumo do livro - não chore, não - mary kubica

Infelizmente é bem difícil fazer uma resenha de Não Chore, Não sem sair soltando spoilers. Quem já leu algum livro de Mary Kubica sabe que a trama é cheio de mistérios que vão se desenrolando aos poucos, e o desfecho pode ser trágico e claro que nesse livro não aconteceria diferente.

O livro é narrado por Quinn e Alex alternando os capítulos, e apesar de Ester e Pearl serem personagens chave na trama, as histórias de Quinn e Alex acabam ganhando mais destaque, mas no fim, acabei me frustrando um pouco porque eu queria saber ainda mais desses dois personagens, mas a história sempre volta para Pearl e Ester.

lombada do livro - não chore, não de Mary Kubica

contra-capa do livro - não chore, não

E outra coisa frustrante é o fim de Alex, fiquei triste, realmente eu não queria aquilo, simplesmente o considerava um cara que merecia todas as chances de ser feliz na vida, mas enfim!

Infelizmente Não Chore, Não não foi tão surpreendente quanto A Garota Perfeita, nesse novo livro o desenrolar da história não teve tanta emoção e se tornou até cansativo, dando a sensação de que nunca sairíamos daquele ciclo monótono. Em si Não Chore, Não não é um livro ruim, mas como eu criei muitas expectativas acabei me frustrando.

Compartilhar:
14 Jul , 2018

Resenha: O Fim de Eddy – Édouard Louis

em Livros

O livro     O Fim de Eddy     provavelmente entrará para lista dos melhores livros que li esse ano.     O Fim de Eddy     é a primeira obra do autor Édouard Louis e se trata de uma autobiografia trazendo a vida de um garoto que se sente diferente ao crescer cercado por uma sociedade machista, homofóbica e conservadora.

Capa do livro - o fim de eddy

O livro     O Fim de Eddy     se passa nos anos 90 e lá encontramos o jovem Eddy Bellegueule, responsável por narrar o livro e que vivia em uma pequena vila industrial ao norte da França onde ele começa a descobrir sua sexualidade e se vê tendo que lidar com uma comunidade machista e conservadora e muitas vezes tentando ser o que ele realmente não é, heterossexual.

Apesar de     O Fim de Eddy     ser um romance, Édouard Louis se inspirou em sua própria história para escreve-lo. Vindo de origem simples, com um pai alcoólatra e racista e uma mãe que precisava dividir a atenção entre vários filhos, Louis nos mostra o quanto foi difícil para ele tentar esconder sua sexualidade.

Parte 1 do livro - O Fim de Eddy

Parte 1 do livro – O Fim de Eddy

Parte 2 do livro - O Fim de Eddy

Parte 2 do livro – O Fim de Eddy

Eddy tinha trejeitos femininos, voz fina e não gostava das “atividades de macho” que os outros homens da vila fazia, porém, ao saber das consequências que o seu eu poderia causar na vida dele, Eddy fica sempre tentando mudar a voz e as atitudes para que os demais pensem que ele é um macho hétero como todo os outros meninos da vila.

Para mim, as partes mais chocantes do livro se passam dentro da escola. Eddy precisava lidar com todo tipo de humilhação e tortura, apenas por causa do seu jeito de ser e Eddy se via sempre com a frase na cabeça “Hoje eu vou ser durão” tentando de todas as formas se forçar a ser o que não era para fugir das agressões e preconceitos.

contra-capa do livro - o fim de eddy

capa e resenha do livro - o fim de eddy

Ainda bem jovem, no começo de sua adolescência Eddy tem a sua primeira experiência homoafetiva com alguns colegas e é ai que ele percebe que a sua luta não será apenas contra a sociedade, mas também contra seu próprio corpo e vontades.

O Fim de Eddy      é um livro forte que nos faz pensar no sofrimento e angustia de tantas pessoas que precisam esconder quem realmente são por medo do que uma sociedade preconceituosa e machista pode fazer, tornando-se um martírio solitário e dolorido.

Compartilhar: